Menu

Arquidiocese, Destaque, Galeria de Fotos, Notícias

CHUVA DE ROSAS

CHUVA DE ROSAS EM CURVELO

Visita das relíquias de Santa Teresinha do Menino Jesus

 

 

Pe. Frederico Martins e Silva

Pároco da Paróquia Santo Antônio de Curvelo

Vigário Judicial da Arquidiocese de Diamantina

Curvelo, 12 de junho de 2024

 

No dia 10 junho, segunda-feira,  a Paróquia Santo Antônio de Curvelo celebrou uma festa dentro da festa! No 11º dia da Trezena de Santo Antônio, os fiéis de Curvelo e região tiveram a imensa alegria de acolher a urna peregrina de Santa Teresinha do Menino Jesus, padroeira da missões e doutora da Igreja.

Santa Terezinha nasceu em Alençon, França, no dia 2 de janeiro de 1873, e morreu no dia 30 de setembro de 1897, com apenas 24 anos. Filha dos santos São Luís Martin e Santa Zélia Guérin, Santa Teresinha após a morte de sua mãe foi residir na cidade de Lisieux com seu pai e suas irmãs.

Este precioso relicário vindo da França traz um fêmur e ossos do pé de Santa Teresinha. Expressa bem o desejo da santa de percorrer a terra pregando o nome de Jesus.

A urna veio do Carmelo da cidade Patos de Minas e depois foi levada para Sete Lagoas. Na Arquidiocese de Diamantina passou por Curvelo e fez uma breve visita à Inimutaba. Os católicos aguardaram com enorme expectativa a chegada da santinha. Por volta do meio-dia, chegou no 2º Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar de Curvelo, trazido por um sacerdote da Diocese de Patos de Minas, uma monja carmelita e 4 quatro leigos. Foi colocada em veículo da corporação e depois levada para a rotatória da Imaculada de onde partiu uma grande carreata com carros da cidade até a igreja matriz. Ali se encontrava uma multidão de fiéis.

Nosso Arcebispo Metropolitano, Dom Darci José, presidiu uma missa às 12h30, no templo que se tornou pequeno diante de tantos fiéis. Foi concelebrada por vários sacerdotes e seminaristas da Arquidiocese de Diamantina. Muitos, impossibilitados de entrarem na igreja, participaram da celebração na praça da matriz, com transmissão feita por um telão de led.

A urna foi recebida na igreja com uma chuva de pétalas de rosas que caíram sobre a cabeça dos fiéis, que afirmaram terem sido tocados de grande emoção e tomados do amor de Deus. A matriz de Santo Antônio se transformou em um imenso jardim de rosas! No retábulo-mor, abaixo da imagem de Santo Antônio foi colocada uma reprodução da fotografia do rosto de Santa Teresinha, e no presbitério uma imagem. A urna foi ladeada por centenas de rosas de todas as cores.

Por meio do amor, Terezinha confiava plenamente em Deus, desenvolveu uma bela obra teológica e espiritual, a Infância espiritual ou Pequena via. Santa Terezinha era humilde e acreditava que tínhamos que ser como crianças diante de Deus. Do mesmo modo deveria ser a nossa convivência com o próximo, aceitá-lo como ele é, amar sem reservas.

Santa Terezinha falece aos 24 anos de idade e diz em suas últimas palavras: “Oh Amo-O. Deus meu… amo-Vos!”. Após a morte de Terezinha, foram publicados os inúmeros escritos deixados por ela, que se tornaram conhecidos mundialmente. Dessa forma, cumpriu-se o seu desejo de que se espalhe pelo mundo chuva de rosas, de milagres e graças por todo o mundo. Sua beatificação aconteceu em 1923, sendo canonizada pelo Papa Pio XI em 1925, que a chamava de “uma palavra de Deus”. O Papa João Paulo II a proclamou doutora da Igreja, no dia 19 de outubro de 1997.

Ela, do céu, cumpriu em Curvelo o que prometeu!

Santa Terezinha do Menino Jesus, rogai por nós!

OUTRAS NOTÍCIAS

CNBB

VATICANO