Notícias_destaque



Divulgada mensagem da CNBB aos trabalhadores do Brasil


O episcopado brasileiro, reunido no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida (SP), em meio a sua 55ª Assembleia Geral, publica mensagem direcionada aos trabalhadores por ocasião do Dia do Trabalhador, 1º de maio.

No texto, os bispos conferem apoio aos cidadãos pela busca e manutenção dos seus direitos trabalhistas. “Encorajamos a organização democrática e mobilizações pacíficas, em defesa da dignidade e dos direitos de todos os trabalhadores e trabalhadoras, com especial atenção aos mais pobres”.

Confira a seguir:

AOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DO BRASIL

MENSAGEM DA CNBB

“Meu Pai trabalha sempre, portanto também eu trabalho” (Jo 5,17)

 



A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, reunida, no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida – SP, em sua 55ª Assembleia Geral Ordinária, se une aos trabalhadores e às trabalhadoras, da cidade e do campo, por ocasião do dia 1º de maio. Brota do nosso coração de pastores um grito de solidariedade em defesa de seus direitos, particularmente dos 13 milhões de desempregados.

O trabalho é fundamental para a dignidade da pessoa, constitui uma dimensão da existência humana sobre a terra. Pelo trabalho, a pessoa participa da obra da criação, contribui para a construção de uma sociedade justa, tornando-se, assim, semelhante a Deus que trabalha sempre. O trabalhador não é mercadoria, por isso, não pode ser coisificado. Ele é sujeito e tem direito à justa remuneração, que não se mede apenas pelo custo da força de trabalho, mas também pelo direito à qualidade de vida digna.

Ao longo da nossa história, as lutas dos trabalhadores e trabalhadoras pela conquista de direitos contribuíram para a construção de uma nação com ideais republicanos e democráticos. O dia do trabalhador e da trabalhadora é celebrado, neste ano de 2017, em meio a um ataque sistemático e ostensivo aos direitos conquistados, precarizando as condições de vida, enfraquecendo o Estado e absolutizando o Mercado. Diante disso, dizemos não ao “conceito economicista da sociedade, que procura o lucro egoísta, fora dos parâmetros da justiça social” (Papa Francisco, Audiência Geral, 1º. de maio de 2013).

Nessa lógica perversa do mercado, os Poderes Executivo e Legislativo reduzem o dever do Estado de mediar a relação entre capital e trabalho, e de garantir a proteção social. Exemplos disso são os Projetos de Lei 4302/98 (Lei das Terceirizações) e 6787/16 (Reforma Trabalhista), bem como a Proposta de Emenda à Constituição 287/16 (Reforma da Previdência). É inaceitável que decisões de tamanha incidência na vida das pessoas e que retiram direitos já conquistados, sejam aprovadas no Congresso Nacional, sem um amplo diálogo com a sociedade.

Irmãos e irmãs, trabalhadores e trabalhadoras, diante da precarização, flexibilização das leis do trabalho e demais perdas oriundas das “reformas”, nossa palavra é de esperança e de fé: nenhum trabalhador sem direitos! Juntamente com a Terra e o Teto, o Trabalho é um direito sagrado, pelo qual vale a pena lutar (Cf. Papa Francisco, Discurso aos Movimentos Populares, 9 de julho de 2015).

Encorajamos a organização democrática e mobilizações pacíficas, em defesa da dignidade e dos direitos de todos os trabalhadores e trabalhadoras, com especial atenção aos mais pobres.

Por intercessão de São José Operário, invocamos a benção de Deus para cada trabalhador e trabalhadora e suas famílias.

Aparecida, 27 de abril de 2017.

 

 

Dom Sergio da Rocha

Arcebispo de Brasília

Presidente da CNBB


Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, SCJ

Arcebispo São Salvador da Bahia

Vice-Presidente da CNBB


Dom Leonardo Ulrich Steiner

Bispo Auxiliar de Brasília

Secretário-Geral da CNBB

 

Pastoral Operária emite nota em apoio ao Dia do Trabalhador

A Pastoral Operária Nacional divulgou nota em apoio ao Dia do Trabalhador, comemorado na próxima segunda-feira, 1º de maio, na qual repudia a retirada dos direitos dos trabalhadores. No texto, a pastoral enfatiza que “o trabalho digno é nosso direito, lutar por ele é nosso dever”. Por esta razão, ainda segundo a nota, “seguimos na defesa incondicional dos direitos do povo trabalhador, nas organizações pastorais, sociais, nos partidos, sindicatos, sobretudo nas bases, por nenhum direito a menos”.

Logo abaixo, confira, na íntegra, a nota:

 

 

Nota da Pastoral Operária Nacional sobre o 1º de Maio de 2017


O pão dos indigentes é a vida dos pobres, e quem tira a vida dos pobres é assassino. Mata o próximo quem lhe tira seus meios de vida, e derrama sangue quem priva o operário de seu salário” (Eclesiástico 34, 21-22).

No dia internacional do trabalhador e da trabalhadora, a classe trabalhadora enfrenta mudanças no Mundo do Trabalho que prometem ser históricas na longa caminhada de conflitos entre Capital e Trabalho.

Vivemos hoje o extremo da ganância da burguesia capitalista, na qual os “donos do poder” declaram que não bastam as reformas (trabalhista, previdência, terceirização, educação, política), mas querem mais. Mesmo com tudo que as estruturas de poder político e econômico tem feito, destruindo direitos conquistados com suor, sangue e vida dos que trabalham, vendendo a única coisa que possuem, sua vitalidade, sua energia, o sistema econômico ainda quer mais.

Assistimos, atônitos, o governo de Michel Temer, um Congresso Nacional sustentado em seus alicerces pela corrupção, com o dinheiro daqueles que tudo produzem, tudo contribuem, com pesados impostos e assistem a riqueza dos que vegetam como vermes por sobre a miséria, fome e corpo sem vida por não ter o necessário para viver.

Cresce a fileira dos que foram jogados para fora do direito ao trabalho, do direito a morar com dignidade. Mas assistimos a ganância dos que corrompem com os que são corrompidos, preocupados unicamente em acumular, mesmo que para isso destruam sonhos, oferecendo a ilusão de uma sociedade de fartura que na verdade gera a cultura do ter em detrimento do ser.

É nesta sociedade que “Mata o próximo quem lhe tira seus meios de vida, e derrama sangue quem priva o operário de seu salário” (Eclo 34, 22), que está a consumir “O pão dos indigentes é a vida dos pobres” (Eclo 34, 21).

No livro do êxodo Deus disse: Eu vi, eu vi a miséria do meu povo que está no Egito. Ouvi o seu grito por causa de seus opressores; pois eu conheço as suas angústias. Por isso desci a fim de libertá-lo da mão dos egípcios, e fazê-lo subir desta terra para uma terra boa e vasta, terra que emana leite e mel (Ex 3,7-8).

Deste modo, repudiamos todas as reformas desse governo da maneira que está sendo imposta, a aliança entre capital e política para retirar direitos da classe trabalhadora. E reafirmamos que o trabalho digno é nosso direito, lutar por ele é nosso dever! Por isso seguimos na defesa incondicional dos direitos do povo trabalhador, nas organizações pastorais, sociais, nos partidos, sindicatos, sobretudo nas bases, por nenhum direito a menos!

Que Deus nos ajude!

Pastoral Operária Nacional

 

 

Dom Darci fala sobre a 55ª Assembleia Geral da CNBB

 

 

O arcebispo metropolitano de Diamantina, dom Darci José Nicioli, participa, juntamente com o episcopado brasileiro, da Assembleia Geral da CNBB que será realizada, de 26 de abril a 5 de maio, no Centro Pe. Vitor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP). Diante do tema “Iniciação à vida cristã”, os bispos do Brasil debaterão sobre a qualidade de atuação e o compromisso dos cristãos em relação ao processo em que a pessoa é introduzida na vida da Igreja.

 

 

Dom Darci, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, será o porta-voz do evento e comandará as entrevistas coletivas que acontecerão diariamente sempre às 15 horas, na Sala de Imprensa do Centro de Convenções, com a presença de três bispos designados pela presidência da Assembleia. De acordo com dom Darci, a expectativa para o início dos trabalhos para esta 55ª edição da Assembleia dos bispos é bastante grande, sobretudo, diante dos trabalhos que vão envolver o tema central. “O episcopado brasileiro sente que é necessário intensificar a catequese para o cristão católico, pois a fé é processo de aprendizagem e crescimento no amor a Deus e ao próximo”, conta.

 

 

Ainda de acordo com o arcebispo, é necessário estar atento à nova realidade de iniciação à vida cristã, que muitas vezes abandona o modelo de vivência na fé iniciada dentro dos lares. “Constata-se que, quase sempre, a fé não mais é transmitida dos pais para os filhos. Essa realidade exige, ainda mais, que a catequese dos iniciados, crianças e adultos, seja melhor elaborada, mais intensa e com novos métodos. É imperativo centrar a iniciação à vida cristã na Palavra de Deus, na vivência em comunidade e na pratica da caridade. A Palavra como revelação da salvação de Deus na história: fé e vida. A Igreja como Povo de Deus celebrante, que atualiza a salvação na liturgia: lex orandi e lex credendi! A caridade como testemunho concreto da fé professada e celebrada: lex orando e lex vivendi”, sublinha.

 

“São muitos os desafios que serão objeto de nossas preocupações: o padre como primeiro catequista da comunidade; a formação dos catequistas leigos; a liturgia como catequese em ato; novos métodos para uma catequese renovada; atualização da linguagem; um renovado ardor missionário etc”, enumera dom Darci.

 

Além do tema central, outros assuntos serão tratados nesta Assembleia. Como de costume, serão questões relacionadas à realidade socioeconômica e política do Brasil, além de outros temas prioritários que também serão abordados como uma reflexão sobre a exortação apostólica do papa Francisco “Amoris Laetitia” – que aborda o amor na família –, o caminho ecumênico, as novas formas de consagração e novas comunidades, além dos 10 anos da Conferência de Aparecida e a XV Assembleia do Sínodo dos Bispos, este último evento a ser realizado em 2018 com o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, até então tratado como o “Sínodo dos jovens”.

 

A Assembleia Geral da CNBB terá início nesta quarta-feira, 26, com missa às 7h30, no Santuário Nacional de Aparecida, e cerimônia de instalação a partir das 9h30, no auditório do Centro de Eventos Padre Vítor Coelho. Diariamente, com exceção do domingo, dia 30, serão celebradas missas com laudes das 7h30 às 8h45, no Santuário Nacional de Aparecida, com transmissão ao vivo pelas emissoras católicas de rádio e televisão.

 

Pela manhã, os trabalhos serão desenvolvidos em duas sessões, sendo outras duas realizadas na parte da tarde. No dia 29 será iniciado o retiro dos bispos, com término no dia 30, às 11h30, com missa no Santuário de Aparecida. Já no dia 2 de maio, haverá uma celebração ecumênica, recordando os 500 anos da Reforma Protestante.

 

Dom Darci pediu orações para todo o episcopado brasileiro, contando que os trabalhos possam transcorrer de maneira eficaz. “Peço que rezem pelos bispos nesta 55ª Assembleia Geral, em Aparecida. Significativamente estaremos no Santuário daquela que é a ‘primeira catequista do Pai’. Que sejamos inspirados pelo Espírito, nesta importante missão de conduzir o Povo nos caminhos de Deus”. E finaliza saudando todo o povo da arquidiocese: “abraço a todos e a cada um desta querida Arquidiocese de Diamantina”.

 

A Assembleia se encerrará com uma cerimônia que será realizada no Centro de Eventos, no dia 5 de maio, às 10h30. A 55ª AG reunirá cerca de 370 bispos dos 18 regionais da CNBB.



Episcopado brasileiro aprofunda o tema iniciação à vida cristã na 55ª Assembleia Geral da CNBB


O Anuário Pontifício 2017 e o Anuarium Statisticum Ecclesiae 2015, do Departamento Central de Estatística da Igreja do Vaticano, indica que o Brasil ocupa o primeiro lugar no conjunto de dez países do mundo com maior consistência de católicos batizados, com 172,2 milhões de católicos. Ficando à frente de países como o México, com 110,9 milhões, Filipinas com 83,6 milhões, Estados Unidos da América (72,3), entre outros. O número de católicos brasileiros representa 26,4% de católicos no continente americano.


Apesar desses dados e estatísticas que demonstram que o Brasil continua sendo o país com o maior número de católicos no mundo, bispos do Brasil se preocupam com a qualidade da atuação e com o compromisso dos cristãos ao eleger a “Iniciação à vida cristã” como tema central da sua 55ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) que acontece de 26 de abril a 5 de maio, no Centro Pe. Vitor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP).


Conforme o documento nº 43 do CELAM: “Entende-se como iniciação à vida cristã o processo pelo qual uma pessoa é introduzida no mistério de Jesus Cristo e na vida da Igreja, através da Palavra de Deus e da mediação sacramental e litúrgica, que acompanhe as mudanças de atitudes fundamentais de ser e existir com os outros e com o mundo, em uma nova identidade como pessoa cristã que testemunha o evangelho inserido em uma comunidade eclesial viva e testemunhal.”


Uma comissão especialmente presidida pelo arcebispo de Curitiba dom José Antônio Peruzzo foi designada para produzir o texto que será apreciado e acrescido pelos bispos do Brasil. O texto, após aprovação do episcopado, será publicado como um documento da CNBB.


Além do tema central, os bispos brasileiros também aprofundarão temas da atualidade da conjuntura política brasileira e a conjuntura eclesial após os 10 anos da conferência de Aparecida. No sábado e no domingo, haverá o retiro dos bispos.

 

300 anos de Aparição


A CNBB, em comemoração aos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, nas águas do rio Paraíba do Sul, instituiu o Ano Nacional Mariano, que teve início dia 12 de outubro de 2016, concluindo-se aos 11 de outubro de 2017, para celebrar, fazer memória e agradecer.


Em sintonia com o Ano Nacional Mariano, várias atividades serão realizadas para marcar os 300 anos da imagem de Aparecida e também os 100 anos das aparições de Nossa Senhora de Fátima ao longo da 55ª Assembleia dos Bispos do Brasil.


A missa do sábado dia 29 de abril, às 7h30, será dedicada à nossa Senhora, com entronização da imagem, cantos e homilia especial. À noite, às 20h, encerrando o Retiro dos Bispos, acontece a peregrinação, procissão e celebração Mariana. Uma Sessão Mariana a ser realizada, dia 04 de abril, às 18h, encerra as comemorações durante a 55ª Assembleia dos Bispos do Brasil.

 

Serviço:
55ª Assembleia dos Bispos do Brasil
Tema: Iniciação à Vida Cristã
Data: 26 de abril a 5 de maio de 2017
Local: Centro Pe. Vítor Coelho de Almeida do Santuário Nacional de Aparecida-SP
Contato: Pe. Rafael Vieira
Fone: 61 98136 1595 e what’s up (61) 99948 2772
E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Programação Semana Santa - Paróquia Sagrada Família - Curvelo/MG

 

Mais Artigos...

Repositório de Notícias