Notícias_destaque

O fim e o início

 

Discurso proferido por ocasião da formatura da  2ª turma de Direito no segundo semestre de 2116

 

Queria começar relembrando o clássico pensador do direito, Rudolf Von Jhering, que decepcionado com o método Gramatical que aplicava a lei tal como ela foi escrita, resolveu abordá-la da perspectiva a teleológica. Ou seja, descobrir na aplicação da Lei o seu original propósito. As muitas leis que conhecemos têm um propósito – aprendemos chamar a esse propósito de a intenção do legislador – os americanos a tem em grande consideração, dado que até hoje tiveram uma única Constituição e quando se referem a ela a chamam de a vontade dos nossos fundadores.

 

Isso mesmo – uma nação democrática nasce e se sustenta sobre a Lei – e quando um pai preocupado perguntou a Platão o que deveria fazer para preparar uma cidade melhor para seu filho, recebeu como resposta do filósofo: lute para que a cidade tenha boas Leis.

 

Bem, voltando a Jhering: ele concluiu que o fim do direito é a paz, mesmo que conseguida através da luta.

 

É a paz o fim do direito e não o conflito. A luta é para instituir a conciliação e evitar que os indivíduos resolvam sem mediação as suas aquarelas, o que historicamente conhecemos como vingança.

 

Vocês aprenderam até agora sobre as Leis, o que não é pouca coisa. Mas agora aprenderão a lidar com as pessoas em carne e osso, que tem uma demanda, mas tem sentimentos e uma história de vida que lhes contarão. E uma história, como sabemos, quase sempre tem dois lados.

 

Não se assustem, é assim mesmo. Direito é ciência prática. E se aprendemos bem de Aristóteles e de Kant, e espero que tenham aprendido, em ciências práticas não é o certo contra o errado nem o verdadeiro contra o falso – o que prepondera é uma escolha razoável e equilibrada na busca do que parece ser o mais justo.

 

Assim como na politica e na ética, as irmãs maiores do direito, as escolhas não são entre o bem e o mal. Na maioria das vezes é entre o mal maior e um mal menor, como bem acenou Ronald Dworkin em sua teoria da integridade.

 

Nós estamos em lida, mas não podemos esquecer que no fim de contas vivemos em comunidade, e nela nossas decisões reverberam indefinidamente, razão pela qual devemos buscar a concórdia e a reconciliação antes do conflito e da divisão.

 

Agora é hora de começar a segunda parte do curso: encontrar as pessoas e explicar sobre o maravilhoso mundo das Leis.

 

Nesse caminho cultivem mais amigos que adversários. Lembrem que o dinheiro é importante, mas não é tudo! No mundo existem muitas outras coisas que valem mais (amor, fé, lealdade, convicção) – são algumas que me lembro agora

 

Por fim – sejam honestos. Porque a honestidade é a capacidade de se manter firme no turbilhão do mundo – como uma árvore plantada no meio da tempestade, não se movam dali. Criem raízes na honestidade – pratique-a cada dia, a começar pelas coisas pequenas e que parecem menos importantes, pois, ao final, a prática quotidiana se transforma em uma virtude, e virtudes provadas moldam o caráter e a personalidade.

 

Sejam felizes e que deus os abençoe!

 

Padre Lindomar Rocha Mota

Diretor da FAC

 

 

Dom Darci foi homenageado durante a Colação de Grau da segunda turma de Direito da FAC.

 

 

Missão Jovem do Regional Leste 2


Já estão abertas as inscrições para a primeira Missão Jovem, promovida pelo Serviço de Evangelização da Juventude do Regional Leste 2 (Minas Gerais e Espírito Santo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. O evento, que acontecerá na diocese de Teófilo Otoni (MG), entre os dias 14 e 21 de janeiro de 2017, remete ao apelo de Jesus, reforçado pelo Papa Francisco, de uma Igreja que esteja em saída para anunciar a Boa Nova do Reino de Deus: Ir sem medo e evangelizar.

 

A ideia do projeto, de realizar atividades missionárias no regional, partiu dos três eixos de evangelização, votados como trabalho para Juventude, como explica o assessor do Serviço Regional de Evangelização da Juvetunde, padre Rafael Garcia. “A ideia é dar ao jovem o mesmo sentido dos discípulos de Cristo. Ser convidado a sair de si para anunciar e viver, nas realidades e sofrimentos do mundo, o amor incondicional do Pai, vivido e proclamado nas radicalidades da vida pelo Filho, guiado pelo Espírito”.

 

A ação tomou impulso a partir do projeto Missão Jovem, da CNBB, e se associa ao pedido do Papa durante a Jornada Mundial da Juventude no Brasil, em julho de 2013. “Esse alerta para a missão, foi feito pelo Papa Francisco, aos jovens do mundo inteiro, aqui no Brasil na JMJ. É um convite que precisa ecoar e animar toda a vivência de fé das nossas juventudes”, destaca.

 

Preparação

 

Para preparar os jovens para a missão e articular todo o projeto, foi realizado em meados de novembro um encontro de formação e articulação para lideranças e representantes juvenis. O evento ocorreu no sítio Calazans, em Betim. “O encontro teve por objetivo dar uma formação missionária aos jovens que irão participar da missão em janeiro e, ao mesmo tempo, criar laços entre os mesmo”, explica o sacerdote.

 

Além de partilhas, troca de informações e dinâmicas, o encontro contou com a presença de integrantes do Conselho Missionário do Regional (COMIRE) que preparou os jovens para as diversas experiências possíveis na cidade do Norte de Minas.

Inscrição


As inscrições vão até o dia 26 de dezembro, e são feitas apenas via web. O evento é direcionado a todos os jovens do Regional Leste 2 que estejam engajados em algum trabalho juvenil nas (arqui)dioceses. Mais informações  na plataforma de inscrição.

Mais Artigos...

Repositório de Notícias