Modificar o tamanho de letra:

 

Ao Povo de Deus da Arquidiocese de Diamantina MG.

Aparecida, 09 de março de 2016

 

Estimado irmão no episcopado, D. João Bosco Oliver de Faria e irmãos bispos das Igrejas sufragâneas: Dom José Carlos Brandão Cabral (Almenara MG), Dom Marcello Romano (Araçuai MG), Dom Jeremias Antônio de Jesus (Guanhães MG) e Dom Aloisio Jorge Pena Vitral (Teófilo Otoni MG);

sacerdotes e diáconos; seminaristas e vocacionados: religiosos e religiosas; consagrados e consagradas; movimentos eclesiais; catequistas, lideranças leigas, coordenadores (as) de comunidades e ministros (as) extraordinários; irmãos e irmãs de outras denominações cristãs e não crentes; instituições e organismos de participação; autoridades civis e militares; enfim, homens e mulheres de boa vontade daquela que, para mim, já é a amada Arquidiocese de Diamantina, Igreja Particular plantada no abençoado chão mineiro do Vale do Jequitinhonha, louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Signum tuum luceat! (Ap 12,1). Para que "o teu sinal brilhe - a luz de Cristo!" aceitei ser bispo na Igreja de Deus e tem sido esta a motivação maior do meu ministério episcopal; igualmente assim será na Igreja particular de Diamantina, que o Papa Francisco hoje me confia.

Peço-lhes licença para me apresentar: sou mineiro de Jacutinga, sul de Minas Gerais, de família religiosa, o quarto dos cinco filhos de Darci Sebastião Nicioli e Maria José Riccetto Nicioli, mamãe já falecida. Há 34 anos fiz-me Missionário Redentorista e, há exatos 30 anos, sou sacerdote. Nos últimos 03 anos, como bispo auxiliar, servi a Igreja de Deus em Aparecida SP, colaborando com o Sr. Cardeal, D. Raymundo Damasceno Assis.

Vejam vocês como Deus é bom: saí de Minas Gerais para ser missionário, com apenas 14 anos de idade e, agora, tenho a graça de retornar como bispo-missionário às queridas terras mineiras... No coração brota espontaneamente uma prece: Deo gratias!

Inspira-me a Palavra de Deus, na primeira carta de Pedro (1Pd 5,1-4), o primeiro bispo da Igreja:
"Apascentai o rebanho de Deus que vos foi confiado, vigiando-o não por obrigação, mas de boa vontade, como agrada a Deus; não por interesse, mas com ânimo generoso; não como patrão das pessoas a vós confiadas, mas fazendo-vos modelo do rebanho". Desde já, com estas primeiras palavras que lhes dirijo, no santo temor e com tremor, mas confiante na "graça de estado" que Deus concede aos que envia, humildemente, coloco-me a serviço de todos.

Aproveito da oportunidade para anunciar a solene celebração de apresentação e posse deste servidor, o 9º Bispo desta Igreja, e convidá-los para rezar comigo: dia 22 de maio próximo, às 15:30h, na Catedral Metropolitana. Sua presença é muito importante para mim, para nós!

Na intercessão da Virgem Maria, a Senhora Aparecida e de Santo Antônio de Pádua, padroeiro da nossa Arquidiocese de Diamantina MG, imploro as bênçãos de Deus sobre todos.

 

Por fim, peço-lhes ainda: rezem por mim!