Artigos Públicados

Modificar o tamanho de letra:

Quando a inteligência do silêncio faz a diferença ... e nos cura: Uma reflexão

 

“Quem se escuta primeiro, fala com mais sabedoria”

(Côn. Manuel)

 

Quem se habilita a ler as Sagradas Escrituras se depara com várias situações de silêncio, onde, sua metodologia, nos ensina a usufruir este grande bem, nas mais diversas situações da vida. Algumas passagens bíblicas nos convidam a refletir. Assim temos: “O que é permitido fazer no sábado: o bem ou o mal, salvar a vida ou matar? Mas eles permaneceram em silêncio” (Mc 3, 4). Outra passagem sugestiva: “E não conseguiram apanhá-lo em nenhuma palavra diante do povo. Admirados, ficaram em silêncio” (Lc 20, 26). Outra ainda é importante: “Mas eles ficaram em silêncio. Assim, tomando o homem pela mão, Jesus o curou e o mandou embora” (Lc 14, 4). Já nos diz Confúcio: “O silêncio é um grande amigo nunca nos trai”. O provérbio Chinês nos assegura: “A palavra é prata, o silêncio é ouro”. O silêncio, em sua pedagogia, orienta a consciência, o coração e os sentimentos. Já pensou no silencio de Jesus diante de Pilatos. Diz o Evangelho: “Mas Jesus não respondeu nenhuma palavra” (Mt 27, 14). Daqui podemos ver que as muitas palavras não fazem o destino de ninguém. No silêncio podemos chegar mais depressa e, sobretudo, estar mais alicerçados, alinhados e calibrados. Não queremos defender o silêncio como a única saída para as situações da vida. O que queremos é que, o que se diz, primeiro passe pela prudência e cautela do silêncio.


O silêncio é uma interrupção de ruídos, um ausentar-se para o deserto interior e mergulhar no oceano do eu. Já pensou na inteligência do silêncio do pai do filho pródigo (Lc 15, 11 -32), nos grandes momentos recolhidos da irmã Dulce, o anjo bom da Bahia, do Papa São João Paulo II e tantos outros? Não deve ter sido fácil. Contudo, em seu coração reinava o seguinte pensamento: “muitas palavras, não fazem o destino de ninguém”. O silêncio nos transmite a melhor metodologia de nos saber escutar. Eis, pois, a inteligência do silêncio. Já nos diz Blaise Pascal “O eterno silêncio desses espaços infinitos me espanta”. Quem usa o silêncio com inteligência está de acordo com Henry D. Thoreau quando diz: “O silêncio é a comunhão de uma alma consciente consigo mesma”. Com esta privação ofereço a mim mesmo a mais bela orquestra com suas lindas vozes. Posso escutar o que se passa no âmago de minha alma. Consola-nos R. Tagora: “O silêncio saberá proteger-te a voz, como o ninho protege as aves adormecidas”. Monitorar a inteligência no silêncio é um exercício que motiva a mais bela atividade do eu. Ninguém nos conhece melhor do que agente mesmo. Podemos nos esconder de tudo e de todos, mas de nós mesmos isso jamais ocorrerá.


No maravilhoso território da inteligência encontramos todos os ingredientes para computacionar o que de mais eloqüente o silêncio tem, a verdade do eu. Imagine a situação de Madalena, a pecadora, diante de Jesus. O olhar da mulher para o Mestre lhe presenteou com as mais belas palavras, certamente, jamais ouvidas por ela: “Se ninguém te condenou Eu também não tem condeno” (Jo 8, 1-11). O silêncio é terra fértil onde podemos semear os mais belos sentimentos que percorrem o coração. Posso acompanhar o comportamento dos meus impulsos tanto nos riscos como nas oportunidades. Testemunha Angeles Arrien: “No maravilhoso território do silêncio nós tocamos o mistério. Ele é o lugar da reflexão onde podemos nos conectar com o conhecimento profundo, para o caminho da sabedoria profunda”. Todos os dias temos oportunidade de exercitar a inteligência do silêncio. Ele é uma sala de aula onde aprendemos a cada dia a nos aperfeiçoar. Nunca desprezes esse grande amigo. O silêncio te engrandece a cada momento por mais triste ou feliz que seja a situação. No silêncio existe toda uma dinâmica psico-pedagógica que vai dar vida à inteligência e assegurar os caminhos da prudência. Pense nisso.


Côn. Dr. Manuel Quitério de Azevedo

Professor do Seminário de Diamantina e da PUC – MG

Membro da Academia de Letras e Artes de Diamantina – MG

Membro da Academia Marial – Aparecida - SP