Modificar o tamanho de letra:

 

Currículo - Dom Paulo Lopes de Faria

 

No dia 02 de agosto de 1995, o Santo Padre o Papa João Paulo II nomeou Arcebispo Coadjutor de Diamantina, S. Excia. Revma. Dom Paulo Lopes de Faria, do Clero da Arquidiocese de Belo Horizonte, nascido em Igaratinga-MG a 24 de fevereiro de 1931. Ordenado Sacerdote no dia 08 de dezembro de 1957, na Catedral da Boa Viagem em Belo Horizonte.


Como sacerdote, trabalhou 09 anos no Seminário Provincial do Coração Eucarístico de Jesus em Belo Horizonte, de 1957 a 1966. Em 1966 foi transferido e nomeado Pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Piedade no Bairro das Indústrias, Belo Horizonte-Contagem. Aí permaneceu até 1980. Foi por muitos anos membro do Conselho Presbiteral da Arquidiocese de Belo Horizonte, cidadão honorário de Belo Horizonte e Contagem.


Em 1980, no dia 07 de novembro foi eleito Bispo e nomeado Bispo auxiliar da Arquidiocese de Niterói-RJ. Foi sagrado Bispo no dia 27 de dezembro de 1980, em Belo Horizonte, assumindo a função como Bispo Auxiliar em fevereiro de 1981, trabalhando junto do Sr. Arcebispo Metropolitano de Niterói, S. Excia. Revma. Dom José Gonçalves da Costa, Redentorista e filho de Belo Horizonte.


Permaneceu em Niterói-RJ até 21 de dezembro de 1983, quando foi nomeado pelo Santo Padre João Paulo II, Bispo Diocesano de Itabuna na Bahia. Foi o 3° Bispo Diocesano de Itabuna, Diocese criada pelo Santo Padre João Paulo II no dia 07 de novembro de 1978. Dom Paulo Lopes de Faria esteve à frente da Diocese de Itabuna durante 12 anos. Continuou o trabalho pastoral de seus antecessores, dando estrutura à Diocese recém-criada. Organizou o Seminário São José, deu início à construção do centro de Pastoral João Paulo II, criou diversas Paróquias, fez visitas paroquiais a todas as paróquias, ordenou vários sacerdotes. Durante este período foi Presidente do Regional Nordeste III por dois mandatos. Coordenou uma Visita Ad Limina dos Bispos do Regional, em Roma. Promoveu uma ação social eficiente na região do Cacau.


Tomou posse como Arcebispo Coadjutor de Diamantina no dia 27 de outubro de 1995. Trabalhou junto de S. Excia. Revma. Dom Geraldo Magela Reis, Arcebispo Metropolitano até o dia 14 de maio de 199, quando o Sr Arcebispo, Dom Geraldo Majela Reis teve seu pedido de renúncia aceito pelo Santo Padre, João Paulo II. Nesta ocasião, Dom Geraldo Majela Reis transferiu-se para a cidade de Conselheiro Lafaiete, onde veio a falecer no dia 27 de maio de 2004, tendo o seu corpo sido velado na Catedral Metropolitana de Diamantina. Foi sepultado na Cripta da Catedral Metropolitana de Diamantina no dia 28 de maio de 2004.


Como Arcebispo Metropolitano de Diamantina, desde 14 de maio de 1997, Dom Paulo Lopes de Faria coordenou a reforma física da Catedral Metropolitana de Santo Antônio, do Palácio Arquiepiscopal, da Casa de Pastoral São José, da Casa da Pastoral da Criança, da Casa dos Padres e do Seminário Provincial do Sagrado Coração de Jesus. Transferiu o Seminário menor da cidade de Curvelo para Diamantina, para proporcionar a criação do Seminário Propedêutico. Criou a Casa dos Padres em Curvelo, onde funcionou o Seminário Menor, tendo sido a casa totalmente remodelada.


E ao longo deste período, criou 17 novas paróquias na Arquidiocese, criou duas foranias: Serro e Pirapora, perfazendo um total de seis foranias: Diamantina, Itamarandiba, Serro, Curvelo, Corinto e Pirapora. Criou igualmente três regiões Episcopais: Diamantina, Itamarandiba e Pirapora, nomeando os respectivos Vigários Episcopais. Estruturou o Seminário com novos estatutos, regimento, currículo e nova grade acadêmica. Organizou a Biblioteca do Seminário, inclusive, com a aquisição de novos livros. Instalou uma nova Capela para o Seminário Maior, de acordo com as normas litúrgicas. Cuidou de enviar para Roma a fim de concluir o Curso de Teologia, fazer Mestrado e Doutorado alguns seminaristas, para reforçar o Corpo Docente do Seminário. Até então se encontravam no Seminário de Diamantina seminaristas das Dioceses de Paracatu, Araçuaí, Almenara e Teófilo Otoni. Graças a Deus, temos tido a cada ano um bom número de Ordenações.


Muito se esforçou para que o curso de Filosofia do Seminário pudesse ser reconhecido oficialmente, fazendo parte da FAFIDIA, vinculado à Universidade do Estado de Minas Gerais-UEMG. Esta Faculdade esteve aberta para alunos fora do Seminário, sob a coordenação da Mitra Arquidiocesana.


Preparou, também uma jovem leiga, Eliana Tomaz de Almeida, com mestrado em Teologia no CES (Curso de Estudos Superiores dos Jesuítas, em Belo Horizonte). Esteve responsável pelo Departamento de Catequese da Arquidiocese DAC-DI.


Muito contribuiu ainda para ampliar a rede física da Faculdade de Ciências Administrativas de Curvelo, cuja mantenedora é a Mitra Arquidiocesana de Diamantina, inclusive para a criação de outros cursos superiores. Hoje, a Faculdade de Curvelo é modelo para outras faculdades.


Dom Paulo fundou a Livraria Católica João Paulo II na praça da Catedral, com o objetivo de oferecer aos sacerdotes, seminaristas e comunidade oportunidade para adquirir as Sagradas Escrituras, livros teológicos, catecismos, livros de formação, objetos litúrgicos, religiosos e de piedade, CD´s, tendo em vista a formação religiosa, espiritual, ética e moral, atualizando-se com os Documentos Pontifícios e do Magistério da Igreja no Brasil.


Montou a estrutura organizativa da Cúria Metropolitana e preparou o espaço do acervo de documentos históricos, culturais, religiosos, musicais e patrimoniais, do século 18 ao século 21. Hoje, o arquivo da Cúria Metropolitana tem sido visitado por pesquisadores, historiadores e estudantes.


Implantou o Dízimo em toda a arquidiocese, suprimindo as taxas e emolumentos. Incentivou a proibição da venda de bebidas alcoólicas nas festas religiosas e de padroeiros. Promoveu o Plano Pastoral ?Evangelizar Juntos? desde 1995, integrando assim todas as comunidades eclesiais. Realizou a IV Assembléia Arquidiocesana em novembro de 1998 e a V Assembléia Arquidiocesana em novembro de 2001. Dentro do projeto ?Evangelizar Juntos? apoiou a Equipe de cartilhas, presente em toda a arquidiocese, com um número expressivo de grupos, que semanalmente refletem o texto proposto.


Durante este período de sua permanência como Arcebispo Metropolitano de Diamantina, Dom Paulo exerceu a função de Presidente do Regional Leste II por dois mandatos, de 1999 a 2003.


Como a Arquidiocese de Diamantina celebrou no ano de 2003, o centenário do I Sínodo Diocesano e no ano 2004, a 06 de junho, os 150 anos de sua criação, o Sr. Arcebispo Dom Paulo Lopes de Faria convocou o IV Sínodo Arquidiocesano a realizar-se nos anos 2003-2004-2005. Os temas escolhidos e aprovados para este sínodo foram: a) Tema doutrinário (dogmático): A Igreja Particular, à luz dos documentos do Concílio Vaticano II, ?Lumen Gentium? e ?Gaudium et Spes?, e dos Documentos da CNBB ? Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. b) Temas Pastorais: Pastoral Familiar, Pastoral Social e Pastoral da Juventude, Vocações e Ministérios. c) Tema disciplinar: Diretório Litúrgico Sacramental, texto base para estudo e reflexão no ano de 2004, a ser votado e aprovado na Assembleia conclusiva do IV Sínodo Arquidiocesano.


No ano de 2003, realizou-se antes da Semana Santa, a Solene Missa da Unidade em Itamarandiba. Após a Semana Santa, promovemos uma excursão cultural do Clero a Brasília, com uma vasta agenda de visitas, inclusive, à Nunciatura Apostólica e à Sede da CNBB. Em julho do mesmo ano houve a Semana de Liturgia para o clero, seminaristas e delegados de todas as paróquias da arquidiocese. O curso foi ministrado pelo professor Pe. Dr. Roberto Russo, doutor em Liturgia e pároco da Catedral de Montevidéu no Uruguai. Houve, também momentos celebrativos solenes, Eucaristia, Liturgia das Horas e uma noite cultural com apresentações de excelente qualidade.
Em julho, promovemos uma Jornada da Pastoral Social, em Pirapora. Foram dois dias de estudos sobre a Doutrina Social da Igreja, com uma grande participação de representantes de todas as foranias.


Em agosto, realizamos a Jornada da Família na cidade de Corinto. Foi um dia inteiro no Poliesportivo da cidade, com uma presença de aproximadamente três mil pessoas das seis foranias da arquidiocese.


Em setembro, no dia 13, no seminário, tivemos um Fórum Político, com palestras de peritos sobre o Estado de Direito e o Projeto do atual governo federal. Participaram os prefeitos e presidentes das Câmaras Municipais dos 34 municípios que compõem a Arquidiocese de Diamantina. Foram palestrantes os Srs. Dr. José Bonifácio de Andrada, advogado geral do Estado e o Prof. Patrus Ananias, deputado federal e professor da PUC - Minas.


Em outubro, em Curvelo, realizou-se a Jornada da Juventude e Vocações. Esta atividade aconteceu no CAIC, com uma grande concentração de mais de três mil jovens de toda a arquidiocese.


Em novembro, nos dias 22 e 23 no seminário, realizou-se a Mini-Assembléia do IV Sínodo, cujo tema foi ?A Igreja Particular?, estudo realizado durante o ano nas comunidades, tendo um texto base preparado pela Comissão Teológica do IV Sínodo. Mais de 300 pessoas, entre padres, seminaristas, religiosos e religiosas, leigos e leigas, todos delegados sinodais.


Para os anos 2004 e 2005, seguiram-se as atividades sinodais: o estudo do Diretório Litúrgico Sacramental; uma show musical do Pe. Zezinho e o Trio ?Ir ao Povo? no dia 08 de maio, com a participação de mais de oito mil pessoas, no pátio interno do 3° Batalhão da Polícia Militar de Diamantina; a Assembléia do Regional Leste II-CNBB. Nos dias 03, 04, 05 de junho de 2004, com a presença dos Srs. Arcebispos e Bispos de Minas Gerais e do Espírito Santo. Na oportunidade, foi lançada uma Carta dos Bispos sobre as Eleições Municipais, dirigida aos presbíteros e comunidades eclesiais de todas as arquidioceses e dioceses que integram o Regional Leste II; houve uma grande Concelebração Eucarística no dia 06 de junho, data em que comemoramos os 150 anos da criação da Diocese-Arquidiocese de Diamantina. Esteve presente o Sr. Núncio Apostólico, S. Excia. Revma. Dom Lorenzo Baldisseri, os arcebispos e bispos do Regional Leste II-CNBB, e outros arcebispos e bispos do Brasil em número de 63.


Na programação desta solenidade, houve uma recepção festiva do Sr. Núncio Apostólico no Aeroporto de Diamantina, saudação ao mesmo pelo Sr. Prefeito Municipal, Dr. Gustavo Botelho Júnior e pelo representante do Sr. Governador do Estado, Dr. Serafim de Melo Jardim. O avião da Força Aérea Brasileira que trouxe o Sr. Núncio Apostólico de Brasília à Diamantina, foi cedido por cortesia do Ministério da Defesa, a pedido de S. Excia. Revma. Dom Geraldo do Espírito Santo Ávila, filho de Diamantina e Arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil. No dia 05, houve um jantar festivo na Pousada do Garimpo, hospedagem dos Srs. Arcebispos e bispos, oferecido às autoridades presentes. E, mais tarde, precisamente às 21 horas, realizou-se uma brilhante ?Vesperata?, na rua da Quitanda, oferecida pela Prefeitura Municipal, sob a responsabilidade da Banda do 3° Batalhão da Polícia Militar de Diamantina e da Banda Mirim ?Prefeito Antônio Brito?. Foi um espetáculo maravilhoso, que agradou a todos os presentes.


No dia 06 de junho às 10 horas da manhã, aconteceu o ato solene da grande Concelebração Eucarística, presidida pelo Exmo. e Revmo. Sr. Dom Lorenzo Baldisseri e concelebrada por S. Emncia. Revma. o Cardeal Dom Serafim Fernandes de Araújo, pelo Exmo. e Revmo. Sr. Dom Paulo Lopes de Faria, Arcebispo Metropolitano de Diamantina, e por todos os arcebispos e bispos, em número de 63, pelos sacerdotes do clero arquidiocesano e de outras arquidioceses e dioceses do Brasil, com a participação dos seminaristas de nosso Seminário Sagrado Coração de Jesus e de outras dioceses do Brasil, e uma participação de mais de três mil pessoas de todas as nossas comunidades paroquiais. Houve um almoço festivo no Seminário Sagrado Coração de Jesus, quando abrilhantou este almoço o Coral ?Arte Miúda?, sob a regência da maestrina Soraya. No final deste almoço, o Sr. Núncio Apostólico brindou os presentes com um recital de piano.


À noite, em frente ao Palácio Arquiepiscopal, na rua do Contrato 104, houve uma apresentação folclórica da Guarda Romana e logo em seguida, uma Seresta em homenagem ao Sr. Núncio Apostólico, aos Srs. Arcebispos e bispos e à comunidade de Diamantina. No dia 07 de junho, segunda-feira, às 09 horas da manhã, o Sr. Núncio Apostólico, S. Excia. Revma. Dom Lorenzo Baldisseri, retornou à Brasília, acompanhado de S. Excia. Revma. Dom Geraldo do Espírito Santo Ávila, Dom Jésus Rocha e Dom Agostinho Petry. Em julho, de 21 a 26, em Aparecida do Norte, São Paulo, realizamos o Retiro Espiritual do clero, na casa religiosa das Irmãs Canisianas, orientado pelo Exmo. e Revmo. Sr. Arcebispo de Belém do Pará, Dom Vicente Joaquim Zico, lazarista. Em outubro de 2004, houve a realização de uma grande concentração de coroinhas de todas as paróquias da arquidiocese em nosso seminário, com palestras, filmes, esportes, e Solene Concelebração Eucarística. E, em novembro, nos dias 25-28, as seis foranias de nossa arquidiocese realizaram uma Assembléia Sinodal.


No dia 04 de janeiro de 2004, aconteceu a Dedicação Solene da Igreja Paroquial de São João Batista em Itamarandiba, cujo pároco era então o Cônego Renato da Conceição Silva, Vigário Episcopal. Foi uma belíssima Liturgia digna dos 150 anos da Diocese-Arquidiocese de Diamantina. E no dia 04 de outubro, dando início à novena de Nossa Senhora Aparecida em Corinto, paróquia de Santo Antônio, cujo pároco era o Revmo. Sr. Pe. Adilson Rodrigues Ferreira foi realizada a Solene Dedicação da Igreja de Nossa Senhora Aparecida.


Inauguramos, ainda neste período, a nova sede da Coordenação Arquidiocesana de Pastoral, do Departamento Arquidiocesano de Catequese DAC-DI; da Cáritas Arquidiocesana, da Câmara Eclesiástica auxiliar do Tribunal Eclesiástico e da Secretaria da Forania de Diamantina, no subsolo do Palácio Arquiepiscopal, com entrada pela Praça Dom Joaquim.


Pretendemos concluir o IV Sínodo Arquidiocesano de Diamantina em junho de 2005, quando teremos o lançamento dos livros que pretendemos publicar sobre ?A História Eclesiástica de Diamantina 150 anos?, as obras completas do Revmo. Sr. Mons. Celso de Carvalho: ?A Vida de Dom Joaquim e as Trovas?, e ainda, ?A História do Seminário Sagrado Coração de Jesus?. A Arquidiocese de Diamantina terá a sua história de evangelização e pastoral bem determinada, ?antes do IV Sínodo Arquidiocesano,? e ?depois do IV Sínodo Arquidiocesano (2003-2004-2005).


No primeiro semestre de 2005, teremos diversas atividades sinodais, entre as quais, o lançamento dos livros em pauta, a apresentação das Bandas de Músicas das paróquias, a Assembléia conclusiva do IV Sínodo Arquidiocesano, com a aprovação dos documentos sinodais, em votação pelos delegados sinodais: ?IGREJA PARTICULAR DE DIAMANTINA?, ?PASTORAL FAMILIAR?, ?A PASTORAL DA JUVENTUDE E VOCAÇÕES?, ?A PASTORAL SOCIAL?. E o ?Diretório Litúrgico Sacramental? frutos do IV Sínodo Arquidiocesano. Serão publicados, igualmente: A HISTÓRIA ECLESIÁSTICA DA DIOCESE-ARQUIDIOCESE DE DIAMANTINA ? 150 anos; A HISTÓRIA DO SEMINÁRIO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS, de 1867 a 2005; OBRAS DO MONS. CELSO DE CARVALHO, AUTOBIOGRAFIA DE MONS. OTACÍLIO DE SENA QUEIROZ e A VIDA DO PADRE JOVIANO, pároco da paróquia de Santo Antônio do Itambé.

 

O encerramento do IV Sínodo Arquidiocesano deve acontecer com uma Solene Concelebração Eucarística, a participação do clero arquidiocesano, todos os delegados sinodais, Seminário e comunidades paroquiais.


Além dos encargos episcopais, continuou a promover inúmeros eventos a nível arquidiocesano. E, ao término do seu mandato, já como Administrador Apostólico, preparou uma solene e calorosa acolhida ao novo arcebispo de Diamantina, Dom João Bosco Óliver de Faria. Dom Paulo faleceu santamente no dia 16 de julho de 2009, no Hospital Madre Tereza em Belo Horizonte MG.


Atividades antes do Episcopado


Como sacerdote, trabalhou durante nove anos no Seminário Provincial do Coração Eucarístico de Jesus, em Belo Horizonte-MG (1957-1966), trabalhou alguns meses na Paróquia de Betânia.  Em 1966, foi nomeado Pároco (primeiro Pároco) da Paróquia Nossa Senhora da Piedade, no Bairro das Indústrias, em Belo Horizonte, onde permaneceu até 1980, edificando a igreja material e sobretudo o Povo de Deus. Foi, por muitos anos, membro do Conselho Presbiteral da Arquidiocese de Belo Horizonte.


Atividades como Bispo


Eleito Bispo Titular de Telepte e Auxiliar da Arquidiocese de Niterói em 12/11/1980, foi sagrado Bispo no dia 27/12/1980 em Belo Horizonte-MG, assumindo sua função em fevereiro de 1981, trabalhando junto do Sr. Arcebispo Metropolitano de Niterói, Dom José Gonçalves da Costa, CSSr. Realizou Visitas Pastorais, permanecendo nesta Arquidiocese até 1983, sendo então designado Bispo da Diocese de Itabuna-BA (1983-1995).


Em 21/12/1983, foi nomeado pelo Santo Padre, João Paulo II, Bispo Diocesano de Itabuna-BA (3º Bispo Diocesano), onde permaneceu por doze anos.  Nesta Diocese, organizou o Seminário São José, deu início à construção do Centro de Pastoral João Paulo II, criou diversas paróquias.  Durante este período, foi Presidente do Regional Nordeste III, por dois mandatos. No dia 02 de agosto de 1995, o Santo Padre o nomeou Arcebispo Coadjutor da Arquidiocese de Diamantina-MG.


Vindo a tomar posse como Arcebispo Coadjutor da Arquidiocese de Diamantina-MG, no dia 27/10/1995, trabalhou junto de Dom Geraldo Magela Reis, Arcebispo Metropolitano, até o dia 14/05/1997, quando assumiu o governo da Arquidiocese, pela renúncia de Dom Geraldo Majela. Em Diamantina, Dom Paulo coordenou a reforma de várias obras da Arquidiocese, transferiu o Seminário Menor da cidade de Curvelo para Diamantina,  criou a Casa dos Padres, em Curvelo, criou novas paróquias além de duas novas foranias e três regiões episcopais. Durante esse tempo  presidiu o Regional Leste 2 da CNBB, por dois mandatos (1999-2003). Governou a Arquidiocese até 28/07/2007, quando passou o Báculo a seu sucessor, vindo a residir em Belo Horizonte, onde exerceu ampla atividade pastoral como Arcebispo Emérito.


Dom Paulo faleceu santamente, às 13h27min do dia 16 de julho de 2009, no Hospital Madre Tereza, em Belo Horizonte-MG, vítima de câncer, onde estava internado desde o dia 29/06/2009 e, na  semana anterior ao seu falecimento, havia feito uma cirurgia para a retirada de um tumor maligno. Seu corpo está sepultado na Cripta da Igreja Catedral de Diamantina - MG